domingo, 30 de janeiro de 2011

. ....quando queremos muito uma coisa, até o universo conspira a nosso favor...”.
Essa talvez seja uma frase que caberia nos pensamentos de certos personagens da nossa política. Atualmente o que vem se desenhando é uma disputa política muito conturbada em nossa cidade para o próximo pleito; já despontam alguns pré-candidatos ao legislativo, nomes que figuram na política há muito tempo, e outros nem tanto; porem, todos têm o mesmo ideal, ser vereador de Camacan.
Mas, um personagem em especial começou a dar as cartas, e pelo que conheço de sua capacidade e competência não só o sentido da frase, mas, o próprio cenário político nacional contribui e muito, com sua estratégia para ganhar como vereador.O jovem delmo continua nos surpreendendo com sua capacidade e instinto político.

UM POR TODOS E TODOS POR UM!

Eu não poderia deixar de seguir as inúmeras manifestações de apoio, elogios, agradecimentos e reconhecimento com que estão sendo tratados o nosso guarda municipal Delmo.

Lixo em fase de crescimento no centro da cidade

As pessoas passam ao lado do lixinho.


Um lixão localizado à Rua Luiz Castro, está se agigantando nas proximidades de acesso a Rua Everaldo Figueiredo dos Anjos, onde os moradores das proximidades estão jogando muito entulho e lixo por falta de uma lixeira naquelas imediações.

O  local já se transformou em passagem obrigatória de veículos, motos e transeuntes, principalmente para quem vai ao centro da cidade ou outras localidades. Vale salientar que o lugar tem atraído a presença de vetores, urubus e um cheiro insuportável para quem transita pelas imediações.

Uma lixeira seria de grande importância para que as pessoas pudessem colocar o seu lixo, melhorar as condições do meio ambiente e assim deixar o local sem tanta sujeira e a poluição que vem se acumulando a cada dia.

Camacan (BA) - Lixo é jogado em rodovia.

Quem trafega pela rodovia que interliga Camacan a Pau Brasil, no sul da Bahia, se queixa que a prefeitura de Camacan está usando metade da pista para lançar o lixo recolhido diariamente na cidade.Carros, motos e pessoas são obrigados a utilizar a mão oposta da rodovia, para desviar dos detritos. Há registro de acidentes no local. O odor incomoda e a sujeira é risco para quem caminha pela estrada.


Viva o aqui e agora, construindo um futuro de bênçãos,
no Ano Novo e sempre eu GM Delmo desejo ao povo Camacanense.

Aprendemos que, por pior que seja um problema ou situação, sempre existe uma saída.http://189.23.216.184:1884/supercache/orkut_photos/64/00/OgAAALS3KS3-mYMboRJT43ykcZ3Qthyy5TzFxb8PKnZMYHaUZa_aw45tQxEHKhzZOKSVQDC7DuuHPBzBcX4VQRnH9D0Am1T1UEsMMVlwOmuJvyZ1rpx1lRKMINg_.jpg?cookie=264
Aprendemos que é bobagem fugir das dificuldades. Mais cedo ou mais tarde, será preciso tirar as pedras do caminho para conseguir avançar.
Aprendemos que perdemos tempo nos preocupando com fatos que muitas vezes só existem na nossa mente.
Aprendemos que é necessário um dia de chuva para darmos valor ao Sol, mas se ficarmos expostos muito tempo, o Sol queima.
Aprendemos que heróis não são aqueles que realizam obras notáveis, mas os que fizeram o que foi necessário e assumiram as conseqüências dos seus atos.
Aprendemos que, não importa em quantos pedaços nosso coração está partido, o mundo não pára para que nós o consertemos.
Aprendemos que, ao invés de ficar esperando alguém nos trazer flores, é melhor plantar um jardim.
Aprendemos que amar não significa transferir aos outros a responsabilidade de nos fazer felizes. Cabe a nós a tarefa de apostar nos nossos talentos e realizar os nossos sonhos.
Aprendemos que o que faz diferença não é o que temos na vida, mas QUEM nós temos. E que boa família são os amigos que escolhemos.
Aprendemos que as pessoas mais queridas podem às vezes nos ferir. E talvez não nos amem tanto quanto nós gostaríamos, o que não significa que não amem muito, talvez seja o máximo que conseguem. Isso é o mais importante.
Aprendemos que toda mudança inicia um ciclo de construção, se você não esquecer de deixar a porta aberta.
Aprendemos que o tempo é precioso e não volta atrás. Por isso, não vale a pena resgatar o passado. O que vale a pena é construir o futuro.
O nosso futuro ainda está por vir.
Então aprendemos que devemos descruzar os braços e vencer o medo de partir em busca dos nossos sonhos
Gênesis 2:15 Tomou, pois, o SENHOR Deus ao homem e o colocou no jardim do Éden para o cultivar e o GUARDAR.

Com a existência do fato delituoso, virou denominação:
Gênesis 37:36 Entrementes, os midianitas venderam José no Egito a Potifar, oficial de Faraó, comandante da GUARDA.

Todos os povos sempre ao se reunirem em grupo, passaram a necessitar da figura altaneira do Guardião da Lei e da Ordem.

Muitas vezes representado pelo próprio chefe da tribo, ou sendo delegado este poder de polícia a determinadas pessoas do grupo.

No Brasil, a primeira instituição policial paga pelos erários foi o Regimento de Cavalaria Regular da Capital de Minas Gerais, em 09 de junho de 1775, onde o Alferes Joaquim José da Silva Xavier, o "TIRADENTES", tornou-se Comandante em 1780.

Com a vinda da Família Real para o Brasil, foi criada em 13 de maio de 1809, a Divisão da Guarda Real de Polícia (Guardas Municipais no Brasil), sua missão era de policiar a cidade em tempo integral, tornando-a desde o início mais eficaz que os antigos "Quadrilheiros".

Ao abdicar o trono, D. Pedro deixa seu filho D. Pedro II, neste momento conturbado, através da Regência Trina Provisória em 14 de junho de 1831, é efetivamente criada com esta denominação em cada Distrito de Paz às Guardas Municipais, divididas em esquadras.

Em 18 de agosto de 1831, após a lei que tratava da tutela do Imperador e de suas Augustas irmãs é publicada a lei que cria a Guarda Nacional, e extingue no mesmo ato as Guardas Municipais, Corpos de Milícias e Serviços de Ordenanças, sendo que em 10 de outubro, foram reorganizados os Corpos de Guardas Municipais, agora agregado com a terminologia "Permanentes", subordinada ao Ministro da Justiça e ao Comandante da Guarda Nacional.

As patrulhas de permanente deveriam circular dia e noite em patrulhas a pé ou a cavalo, "com o seu dever sem exceção de pessoa alguma", sendo "com todos prudentes, circunspectos, guardando aquela civilidade e respeito devido aos direitos do cidadão"; estavam, porém autorizados a usar "a força necessária" contra todos os que resistissem a "ser presos, apalpados e observados".

As Guardas Municipais no Brasil, dado a sua atuação foram conhecidas também como:
"Batalhão dos Oficiais-Soldados", "Voluntários da Pátria", "Sagrado Batalhão" e "Guerreiros da Pátria".

A atuação da Guarda Municipal desde a sua criação foi motivo de destaque, conforme citação do Ex-Regente Feijó, que em 1839, dirigiu-se ao Senado, afirmando que:
"Lembrarei ao Senado que, entre os poucos serviços que fiz em 1831 e 1832, ainda hoje dou muita importância à criação do Corpo Municipal Permanente; fui tão feliz na organização que dei, acertei tanto nas escolhas dos oficiais, que até hoje é esse corpo o modelo da obediência e disciplina, e a quem se deve a paz e a tranqüilidade de que goza esta corte".

Esta Corporação Ducentenária, teve em quadro vultos nacionais que souberam conduzi-las honrosamente, tendo como destaque o Major Luiz Alves de Lima e Silva - "Duque de Caxias", que foi nomeado Comandante do Corpo de Guardas Municipais Permanentes, em 18 de outubro de 1832.
Ao ser nomeado Coronel, passou o Comando, onde ao se despedir dos seus subordinados, fez a seguinte afirmação:
"Camaradas! Nomeado presidente e comandante das Armas da Província do Maranhão, vos venho deixar, e não é sem saudades que o faço: o vosso comandante e companheiro por mais de oito anos, eu fui testemunha de vossa ilibada conduta e bons serviços prestados à pátria, não só mantendo o sossego público desta grande capital, como voando voluntariamente a todos os pontos do Império, onde o governo imperial tem precisado de nossos serviços (...). Quartel de Barbonos, 20/12/39. Luís Alves de Lima e Silva".



A Guarda Municipal é um dos poucos órgãos, senão o único, de prestação de serviço público municipal, que está inserida na Constituição Federal, tamanha a sua importância frente à segurança pública local.

Na Carta Magna, em seu artigo 144, § 8º, ao estabelecer atividades, órgãos e atuação frente à Segurança Pública e à incolumidade das pessoas e do patrimônio, preconiza a responsabilidade de todos, e principalmente do "Estado" (União, Estados, Distrito Federal e Municípios), sendo um direito e responsabilidade de todos.

"Art. 144 – A segurança pública, dever do Estado, direito e responsabilidade de todos, é exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, através dos seguintes órgãos:
§ 8º Os municípios poderão constituir guardas municipais destinadas à proteção de seus bens, serviços e instalações, conforme dispuser a lei."

Como o grande Jurista Plácido e Silva já definia:
"GUARDA-CIVIL é uma corporação de ordem policial, existente nas cidades, com a incumbência de vigiar pela ordem pública, orientando também os veículos e pedestres no trânsito citadino.
A cada uma das pessoas que faz o serviço de vigilância ou de policiamento, também se diz guarda-civil.
Embora a guarda-civil entenda-se uma força armada, sujeita a exercícios e deveres militares, não é uma força militar.
Propriamente, o guarda-civil não é um soldado. E embora, na prestação de seu serviço esteja sempre uniformizado, ele é, como se diz comumente, um paisano."

A história da Guarda Municipal, sendo uma instituição secular, acaba se confundindo com a própria história da Nação, ao longo desses últimos duzentos anos.

Em diversos momentos esta "força armada" se destacou vindo a dar origem a novas instituições de acordo com o momento político vigente.

Dado a missão principal de promover o bem social, esta corporação esteve desde os primórdios diretamente vinculada a sua comunidade, sendo um reflexo dos anseios desta população citadina.

POR QUE MANTER A GUARDA MUNICIPAL

texto descritivo
A Guarda Municipal pode ser mais que apenas uma corporação, pode ser principalmente solidária, dinâmica e uma grande prestadora de atendimentos de excelência em várias áreas de atuação para a população, trazendo benefícios com idéias simples e com um custo quase que inexistente.
Existem vários programas das Guardas Municipais no Brasil que estão apresentando resultados positivos junto a sua localidade. Em virtude da sua atuação direta com a comunidade, as Guardas Municipais passam a conhecer as tipicidades dos bairros, a ponto de, em determinadas regiões, onde a insegurança era premissa máxima, agora o cidadão já pode dizer: “eu estou me sentindo mais seguro, quando caminho pela minha cidade”.
O maior dilema da Guarda Municipal, enquanto prestadora de serviço de Segurança Pública Municipal, na esfera municipal, não é encontrar resistência frente à legislação vigente, doutrina ou jurisprudência, mas na intransigência de alguns dirigentes que a vêem como uma concorrente.
Cabe lembrar que quanto mais precária é a segurança oferecida pelo Poder Estatal, maior será o número de prestadoras de serviço de segurança particular, muitas na clandestinidade, onde acabam colocando em risco seus próprios contratantes.
À medida que a criminalidade aumenta no país em proporções assustadoras, surgem tendências político-partidárias querendo diminuir a competência na área de segurança pública por parte dos municípios.
Como podemos observar, em um determinado estado brasileiro, através da Diretriz nº PM3-001/02/01, editada em janeiro de 2001, pelo comando geral, a finalidade era repassar aos comandos locais o que segue abaixo:
“Padronizar os procedimentos das OPM em relação às guardas municipais existentes, bem como, aqueles a serem adotados junto ao poder público municipal nos municípios em que houver pretensão de criação dessas instituições e outras providências a serem adotadas para desestimular iniciativas nesse sentido.” (grifo nosso).
Percebe-se claramente que a preocupação deste comando não está voltada à área de Segurança Pública dos municípios em pauta, mas sim, nas lacunas deixadas por esta instituição, em virtude do seu sistema metódico e de certo modo arcaico, onde torna-se ineficiente frente às necessidades básicas da comunidade. O medo maior está na concorrência de um órgão público municipal capaz de diminuir os índices de insegurança local.
Anteriormente, a preocupação estava centrada no estado, em virtude da dicotomia policial. O governo federal, buscando pôr um fim a esse dilema, iniciou o processo de integração das instituições policiais. Para alguns comandantes retrógrados manterem-se ocupados, optaram em começar a se preocupar com a existência e manutenção das Guardas Municipais, esquecendo da sua principal função que é oferecer Segurança Pública de qualidade.
Por outro lado, enquanto estes comandantes digladiam-se politicamente, a criminalidade vem crescendo e se organizando cada vez mais, a ponto de tornar o povo e a polícia reféns em suas próprias casas e casernas. O crime nas grandes cidades tornou-se insustentável. O criminoso passou a desafiar as próprias instituições de segurança, que acabam por ser invadidas ou tornam-se objetos de atentados.
No Estado do Paraná, por sua vez, as organizações policiais têm adotado um relacionamento mais profissional, onde policiais civis e militares, junto com os guardas municipais, trabalham lado a lado no combate ao crime, cada um respeitando a sua área de atuação e, quando necessário, dando apoio à outra instituição.
Servindo como exemplo está a Operação Integrada, onde, juntos, Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiro, Ministério Público e a Guarda Municipal de Curitiba, com demais órgãos da Prefeitura Municipal de Curitiba, vêm trabalhando semanalmente, há mais de três anos, nas fiscalizações de estabelecimentos comerciais da grande Curitiba.
Deste modo, não há o que se falar de milícias, mas de Guardas Municipais atuando em sintonia com os poderes públicos constituídos e sob a exegese da lei, cumprindo com a sua função constitucional e buscando minimizar os índices de insegurança nesta Capital.
Por sua vez, cabe lembrar que a Guarda Municipal não está exclusivamente voltada para a segurança pública, conforme os moldes do Regime Militar, mas sim para atuação na área de defesa social que corresponde a uma parcela significativa da prestação de serviço à comunidade de maneira extensiva, o qual abrange segurança pública, defesa civil, entre outras ações do poder público.
Defesa Social é a concepção de justiça criminal como ação social de proteção e prevenção, caracterizando-se pela aceitação da mutação de acordo com a evolução da sociedade. O Direito Criminal é, então, parte da polícia social; o crime está na sociedade, o homem apenas o revela. A eficácia do Direito Penal e da polícia em geral no controle da criminalidade é apenas de relativa importância. A prevenção prevalece sobre a repressão.
A criminalidade não se resolve no contexto restrito da Segurança Pública, mas em um programa de ampla defesa social, isto é, numa política social que envolva o punir (quando útil e justo) e o tratamento ressocializante do criminoso e do foco social de onde emerge.
Desta forma, a Guarda Municipal, sendo a prestadora de serviço que trabalha diuturnamente representando o Poder Público Municipal, em todos os bairros e periferias, torna-se uma das poucas instituições do município capaz de dar o pronto-atendimento às necessidades locais.
Por fim, conforme Theodomiro Dias Neto comenta, “Pesquisas norte-americanas realizadas durante os anos de 60 e 70 revelaram que embora a cultura e estrutura policial estivessem inteiramente voltadas à repressão policial, parte significativa dos pedidos de assistência referia-se a pequenos conflitos. Hoje é fato conhecido que a polícia, mesmo em contexto de alta criminalidade, chega a consumir 80% de seu tempo com questões como excesso de ruído, desentendimento entre vizinhos ou casais, distúrbios causados por pessoas alcoolizadas ou doentes mentais, problemas de trânsito, vandalismo de adolescentes, condutas ofensivas à moral, uso indevido do espaço público, ou serviços de assistência social, como partos”. (grifo nosso)
Como vimos na pesquisa, o que nos Estados Unidos era realidade nos anos 60 e 70, aqui no Brasil continua sendo uma rotina, a qual necessita, com uma certa urgência, ser revista pelos Poderes Públicos constituídos.
As Guardas Municipais têm contribuído de maneira significativa nestes diversos tipos de atendimento acima citados, entre outros mais.

Parentes do preso oferecem R$ 5 mil para guardas e também acabam na cadeia

Guardas Municipais que faziam a ronda na rua Alfredo Bufren, no Centro, em Curitiba, próximo a praça Santos Andrade, por volta das 3h30 deste domingo (18) prenderam seis pessoas por tráfico de droga.
Eles avistaram em atitude suspeita um veículo Ford Escort, cor prata, com placas de Quitandinha parado nesta rua com um ciclista e outros dois rapazes do lado de fora da janela e Wagner Luiz de Andrade, 25 anos ao volante. Com a chegada dos guardas o ciclista deixou cair uma pedra de crack no chão e em seguida confessou que estava comprando a droga de Wagner. No carro foram encontrados 28 buchas de cocaína, 2 pedras de crack, R$ 330,00 em notas miúdas e outros objetos que já haviam sido trocados por drogas como relógios, celulares, baterias de carro, sons de carro e uma faca.
Andrade e os três rapazes foram presos e quando os policiais estavam levando-os para o Ciac-Sul, no Portão o celular de Wagner tocou. Era uma voz feminina se dizendo a mulher de Wagner oferecendo a quantia de R$ 5 mil para não prende-lo. Então os policiais combinaram com essa mulher de se encontrarem em frente ao shopping Palladium. Quando chegaram ao shopping desceu de um outro carro uma adolescente de 14 anos e Anderson de Oliveira, primo de Wagner e dono do Escort, com o dinheiro. Na hora em que entregaram o dinheiro, os guardas deram voz de prisão para a adolescente e Anderson por corrupção ativa. Todos foram encaminhados para o 1° Distrito e estão sendo autuados neste momento.

Critérios para apresentação de projetos Municipais
Em 2001, foi instituído o Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP) por meio da Lei nº 10.201/2001 (alterada pela Lei nº 10.746/03), que tem como objetivo precípuo apoiar projetos na área de segurança pública e de prevenção à violência, enquadrados nas diretrizes do Programa de Segurança Pública para o Brasil do Governo Federal.
Desde então, a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) descentraliza recursos às Unidades da Federação, por meio da celebração de Convênios, com vistas à implantação de uma Política Nacional de Segurança Pública. A partir de 2004, também são realizadas aquisições diretas, mediante registro de preços, de alguns equipamentos, os quais são, posteriormente, doados aos Estados e municípios.
Durante esses últimos tempos, em decorrência do próprio amadurecimento da Senasp, a descentralização desses recursos vem sofrendo um processo de qualificação: criamos um sistema de distribuição de recursos fundamentado em informações estatísticas e qualitativas, que caracterizam a situação da segurança pública e sócio-econômica das Unidades da Federação (UFs), ampliamos as ações a serem contempladas com recursos do FNSP e propomos a reformulação da legislação, visando possibilitar a aquisição direta de equipamentos, assim como a inclusão de municípios que, não tendo Guarda Municipal, possuem Conselho Comunitário de Segurança Pública ou desenvolvem ações na área de prevenção à violência.
Isso tudo permitiu a aproximação e a mobilização dos gestores municipais, com vistas a orientação na elaboração de projetos multisetoriais de prevenção da violência e criminalidade, especialmente voltados para jovens em situação de vulnerabilidade, assim como acompanhamento dos resultados obtidos com a implementação destes projetos.
Atualmente, a Senasp assumiu ativamente seu papel na orientação das políticas de Segurança Pública adotadas pelas UFs, induzindo a gestão de processos, a padronização de procedimentos, técnicas e equipamentos, pactuando e executando a implementação das diretrizes do Sistema Único de Segurança Pública (SUSP).
Neste ano de 2007, o Ministério da Justiça está lançando o Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania – Pronasci, o qual tem por objetivo articular uma estratégia de forte mudança de paradigma na segurança pública do país, dando ênfase a questão municipal e a implementação de programas de prevenção, especialmente voltados para a Juventude, em parceria com outros programas do Governo Federal. Neste espírito se intensifica o desenvolvimento das presentes orientações, para que os projetos estejam fundamentalmente voltados a implementação de políticas públicas concretas de redução da violência e da criminalidade
Presidência da República
Casa Civil
Subchefia para Assuntos Jurídicos

Altera a redação dos arts. 1o, 4o e 5o da Lei no 10.201, de 14 de fevereiro de 2001, que institui o Fundo Nacional de Segurança Pública – FNSP, e dá outras providências.
        O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
        Art. 1o Os arts. 1o, 4o e 5o da Lei no 10.201, de 14 de fevereiro de 2001, passam a vigorar com a seguinte redação:
"Art. 1o Fica instituído, no âmbito do Ministério da Justiça, o Fundo Nacional de Segurança Pública – FNSP, com o objetivo de apoiar projetos na área de segurança pública e de prevenção à violência, enquadrados nas diretrizes do plano de segurança pública do Governo Federal.
Parágrafo único. (revogado)." (NR)
"Art. 4o O FNSP apoiará projetos na área de segurança pública destinados, dentre outros, a:
I - reequipamento, treinamento e qualificação das polícias civis e militares, corpos de bombeiros militares e guardas municipais;
II - sistemas de informações, de inteligência e investigação, bem como de estatísticas policiais;
III - estruturação e modernização da polícia técnica e científica;
IV - programas de polícia comunitária; e
V - programas de prevenção ao delito e à violência.
..........................................................
§ 2o Na avaliação dos projetos, o Conselho Gestor priorizará o ente federado que se comprometer com os seguintes resultados:
I - realização de diagnóstico dos problemas de segurança pública e apresentação das respectivas soluções;
II - desenvolvimento de ações integradas dos diversos órgãos de segurança pública;
III - qualificação das polícias civis e militares, corpos de bombeiros militares e das guardas municipais;
IV - redução da corrupção e violência policiais;
V - redução da criminalidade e insegurança pública; e
VI - repressão ao crime organizado.
§ 3o Terão acesso aos recursos do FNSP:
I - o ente federado que tenha instituído, em seu âmbito, plano de segurança pública; e
II - o Município que mantenha guarda municipal ou realize ações de policiamento comunitário ou, ainda, implante Conselho de Segurança Pública, visando à obtenção dos resultados a que se refere o § 2o deste artigo.
...................................................................................
§ 5o Os recursos do FNSP poderão ser aplicados diretamente pela União ou repassados mediante convênios, acordos, ajustes ou qualquer outra modalidade estabelecida em lei, que se enquadre nos objetivos fixados neste artigo." (NR)
"Art. 5o Os entes federados beneficiados com recursos do FNSP prestarão ao Conselho Gestor e à Secretaria Nacional de Segurança Pública informações sobre o desempenho de suas ações na área da segurança pública." (NR)
        Art. 2o Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.
        Brasília, 10 de outubro de 2003; 182o da Independência e 115o da República.
LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA
Márcio Thomaz Bastos
SEGURANÇA PESSOAL NAS RUAS
GUARDAS MUNICIPAIS PREOCUPADOS
COM A SEGURANÇA DA COMUNIDADAMIGO PROTETOR.
              GUARDA MUNICIPAL AÇÃO SOCIAL
01.    Não ande sozinho; sempre que possível, não exponha gratuitamente a ação dos delinqüentes, passeando desacompanhado por locais ermos e/ou em hora avançada. Em festa ou reunião, pegue um taxi ou espere pela companhia de um amigo para saírem juntos. Uma forma prudente e antecipar-se ao perigo, prevenindo-se;
02.    Quando estiver num coletivo e este for invadido por ladrões, mantenha-se calmo. Não encare diretamente os assaltantes, nem tente dialogar com eles. Se houver oportunidade de desfazer-se de alguns de seus valores, faça-o de maneira bastante dissimulada, guardando uma pequena soma de dinheiro. Não haja; sua vida não tem preço;
03.    Evite andar com bolsas, pochetes ou carteira de forma que chame a atenção dos ladrões. Lembre-se sempre de andar com as bolsas coladas ao corpo e a frente com as carteiras nos bolsos frontais;
04.    Não carregue grande importância em dinheiro ou outros valores. Se o fizer por necessidade imperiosa, procure guardar o numerário de modo seguro e discreto, evitando grandes aglomerações, onde agem os punguistas e batedores de carteira, assim como em lugares sem movimento, onde poderão roubá-lo. Siga diretamente quando portar valores, não parando em bares ou casa de diversões;
05.     Ao parar em pontos de ônibus, procure os que se situam em locais de grandes movimento, preferencialmente aqueles locais a porta dos estabelecimentos comerciais;
06.    Quando estiver só escolha seu trajeto, evitando passar por locais desertos e/ou pouco iluminados. Mantenha-se alerta ao cruzar, com suspeitos e não pare para atender pedidos que desperte desconfiança. Caminhe junto a guia da calçada e atravesse a rua a qualquer sinal de perigo. Ao perceber a aproximação de estranhos em atitude suspeita, entre no primeiro local habitado que encontrar, e peça ajuda;
07.    Não use locais isolados para namorar. Os namoradores em lugares solitários são presas fácies dos ladrões;
08.    Desconfie sempre de estranhos, de conversa envolvente que tente aproximação. Não aceite convites de desconhecidos casuais que venha a encontrar na rua, em horas ou casas de diversões noturnas;
09.    Igualmente não se deixe levar pela conversa de estranhos que venham abordá-lo para propor negócios da “china”. São vigaristas; chame o Guarda Municipal ou policial mais próximo;
10.    Não ande armado. Quem carrega arma de fogo, muitas vezes sem saber usá-la eficazmente, pode ser induzido a pratica de atos temerários ante a ação de criminosos;
11.    Procure controlar-se nas piores situações. Os assaltantes valem-se do fator surpresa para atacar suas vitimas. Não grite e nem discuta com eles seu nervosismo poderá aumentar a tensão sob a qual agem e provocar uma atitude mais agressiva em seu desfavor;
12.    VIOLÊNCIA SEXUAL É CRIME! DENUNCIE – Disque: 100
13.   Preserve a natureza, não desmate a fauna ou sofremos no futuro.
14.   Ajude a manter as atividades da PAE.  
15.   Converse com seu filho A RESPEITO DAS DROGAS se não ele pode morre de      
 Curiosidade.
16.   Uma vida sem violência e um direito das mulheres disque - 180
17.   SOS os nossos jovens esta se acabando com as drogas vamos desenvolver mais trabalhos sociais.
Programa Das Nações Unidas Para o Desenvolvimento - Guarda Municipal não deve imitar PM 
'Guarda Municipal não deve imitar PM'
Cidades têm de atuar mais na prevenção que na repressão de crimes, defende guia do Ministério da Justiça a ser entregue a prefeiturasO Ministério da Justiça vai distribuir, até março, um guia de orientação para os municípios brasileiros sobre como lidar com as crescentes demandas por segurança pública. O livreto, a ser entregue inicialmente às cerca de 400 cidades que mantêm projetos com o Ministério, vai defender que as ações locais precisam enfatizar mais a prevenção que a repressão e que a Guarda Municipal não deve repetir o modelo usado pela maioria das polícias militares, afirma o autor do guia, o consultor Marcos Rolim.
“Esse modelo reativo, em que se age depois que um crime é notificado, é um saco sem fundo. Ele pode no máximo aumentar a taxa de prisão, mas não diminui a violência”, afirma Rolim. Ele enviou o texto à Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) no final de dezembro; o "Guia Nacional de Prevenção à Violência" será revisado pelo Ministério da Justiça e, em seguida, disponibilizado no site da Senasp e distribuído às autoridades de segurança. A iniciativa tem apoio do PNUD.
Segundo o consultor, o guia “não vai trazer soluções, que são sempre locais”, mas princípios e recomendações gerais a partir de experiências nacionais e internacionais na área de segurança pública. Um dos pontos centrais a serem defendidos no livreto é que o combate à violência deve envolver políticas de setores tão distintos como educação, saúde, lazer e iluminação pública. “Algumas ações focalizadas, sem grandes custos, podem ser muito eficazes”, assegura Rolim.
Ele argumenta que as pesquisas na área apontam que os criminosos têm, freqüentemente, um passado de sofrimento de abuso ou negligência na infância. Assim, “tende a ser muito eficaz” uma política de prevenção capaz de evitar esse problema entre crianças — como capacitar professores para que sejam capazes de detectar, entre seus alunos, vítimas de abusos e negligências. Também tende a ter bons resultados, segundo o consultor, uma política de esporte e lazer que mobilize grupos tradicionalmente em risco (risco de ser tornar vítima ou ator da violência), como adolescentes de bairros periféricos, de famílias de baixa renda e excluídos da escola.
No guia, Rolim expõe algumas recomendações sobre a formação das guardas municipais. Essas forças municipais de polícia, sugere, devem ter perfil comunitário, de maneira que os guardas sejam agentes fixos nos bairros, em vez de fazerem patrulhas aleatórias pela cidade. “É importante que ele conheça e seja conhecido pela comunidade, que estabeleça uma relação de confiança”, afirma. A tarefa da Guarda Municipal seria, portanto, de prevenção e investigação — nos casos mais perigosos, ela acionaria a Polícia Militar.
O livreto também alertará as prefeituras para que desconfiem das estatísticas da Polícia Militar ao formularem políticas de segurança. Os números da PM reúnem apenas registros de casos de violência, os boletins de ocorrência (BOs), mas “grande parte das vítimas não faz registro”. “O boletim de ocorrência é apenas a ponta do iceberg. A subnotificação é muito alta”, declara Rolim. Se utilizar apenas os dados dos BOs, afirma o consultor, a administração municipal corre o risco de ter uma visão distorcida da situação da criminalidade na cidade: pode dar mais peso ao combate de crimes que são tradicionalmente mais notificados (como homicídio e furto de veículos) e desprezar crimes geralmente subnotificados (como violência doméstica).
A recomendação que constará do guia é que as prefeituras façam pesquisas próprias junto à população — como as pesquisas tradicionais, em que um universo de moradores é visitado e responde a um questionário. “Isso é fundamental para formar um diagnóstico preciso”, argumenta Rolim.

ADVOGADO BATE O CARRO, SOFRE INFARTO E MORRE .

O advogado Leônidas Oliveira, 58 anos, teve um infarto ao volante e bateu o carro em uma loja de material de construção. Ele morreu duas horas depois no hospital.
O incidente foi na tarde desta sexta-feira (28), na Rua da Colônia, no centro de Eunápolis. Segundo testemunhas, Leônidas seguia em direção à Praça da Bandeira quando teve o mal súbito.
O veículo, uma picape Strada, cruzou a rua, subiu na calçada e foi parar quase dentro da loja, derrubando alguns materiais. Ele não se feriu na batida.
O advogado, que trabalhava no escritório Oziel Bonfim & Associados, ficou desacordado. Uma equipe do SAMU - o serviço móvel de urgência, chegou quase 20 minutos depois.
Os socorristas tentaram reanimá-lo ainda dentro da ambulância. Leônidas foi levado para o Hospital Regional, inconsciente, onde foram feitas novas tentativas de reanimação.
Por volta das 18h00, quando era preparada a transferência de Leônidas para um hospital de outra cidade, ele foi a óbito, por infarto agudo do miocárdio.

JOVEM É PRESO COM 26 PINOS DE CRACK e 13 BUCHAS DE MACONHA EM ITAPETINGA.

Na madrugada do sábado (29) a guarnição do PETO – PELOTÃO ESPECIAL DA POLÍCIA MILITAR, composta pelos policiais Osvaldo Jr, Bispo e Letian prenderam no bairro Américo Nogueira KAIQUE DOMINGOS SANTOS, de 19 anos.
KAICK PESÃO

ITAPETINGA AGORA - A Policia Militar de Itapetinga realizava rondas de rotina pelo Américo Nogueira, KAIQUE, o PESÃO, ao avistar os policiais fugiu e tentou se esconder nas proximidades de sua residência, ao ser abordado pela PM foi encontrado com o mesmo a quantidade de 26 PINOS DE CRACK E 13 BUCHAS DE MACONHA. Com o rapaz também foi encontrado papel laminado, utilizado pelos traficantes para embalar drogas, e uma caderneta com o nome de várias pessoas, inclusive adolescentes, compradores de drogas no Américo Nogueira.
Kaique foi enquadrado no art. 33, trafico de drogas, pelo Delegado plantonista Leonardo Rabelo.
OS IRMÃOS JOILSON E RUBENILSON FICARAM MACHUCADOS.
Joilson

Um caminhão capotou nas proximidades do km 14, na BA 263, rodovia Itapetinga/Itororó, por volta dás 12:30 h. de sábado (29). No veículo se encontravam 03 pessoas, o motorista de vulgo “Salú” e os irmãos JOILSON DE JESUS PRATES E RUBENILSON DE JESUS PRATES.
Joilson falou ao Itapetinga Agora: “Vínhamos normalmente com o caminhão, quando repentinamente o braço da direção quebrou e o caminhão caiu no acostamento, capotando. Meu irmão ficou bastante machucado.”
Rubenilson
Os rapazes foram socorridos pela Polícia Militar de Itororó e conduzidos para o Hospital Cristo Redentor de Itapetinga. Rubenilson foi de imediato suturado, pois se encontrava com várias lesões na cabeça e pelo corpo e com um profundo trauma craniano. Joilson, ao avistar o irmão totalmente ferido, entrou em desespero e se recusou a ser atendido pelo médico do Hospital.
O desespero de Joilson foi tamanho que ele não percebeu que se encontrava extremamente lesionado, com suspeitas de afundamento no crânio.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

VIATURA DA PM INCENDIADA NO INTERIOR

Uma viatura da Polícia Militar foi incendiada na madrugada desta sexta-feira (28), na porta da casa de um soldado, no município de Presidente Jânio Quadros, no centro-sul do estado. O veículo era a única viatura da cidade e, segundo moradores, pode ter sido incendiado em resposta a abordagens realizadas pelo militar desde a sua chegada no município, há cerca de dez meses. A Polícia Técnica está responsável pela perícia do veículo e agentes da Polícia Civil pela investigação que levará à autoria do crime.
Três pessoas morreram em acidente na BA 046

Na tarde desta quinta-feira (27), três pessoas morreram em um grave acidente, na BA 046, próximo ao município de Muniz Ferreira, no Recôncavo baiano. 
O veículo ocupado por três homens teria perdido o copntrole, rodado na pista e colidido com um caminhão das Lojas Guaibim. O motorista do caminhão fugiu do local.
De acordo com o pai do motorista do carro, os rapazes viajavam para realizar um serviço elétrico em São Roque do Paraguaçu. Devido ao acidente o trânsito no local está muito lento.
Colisão na rodovia Ilhéus Itabuna deixa uma pessoa ferida

Um caminhão tanque que transporta chocolate bateu com uma D 4000 na BR 415 rodovia Itabuna - Ilhéus nesta quinta-feira (27) próximo ao Makro. O condutor do veículo menor não identificado foi socorrido e levado para o Hospital de Base. Já o caminhoneiro nada sofreu.
Segundo o goiano Adilson, ele havia carregado o caminhão em Ilhéus e, não teve como evitar a colisão ao perceber que a F 4000 fazia um retorno do Makro para o Atacadão.
A pista ficou interditada até a chegada da Polícia Rodoviária Estadual e duas ambulâncias do SAMU de Itabuna. Em seguida outra ambulância de Ilhéus, chegava ao local, mas não havia mais vítimas.
Conforme os policiais, ambos os carros ficaram retidos até a chegada da perícia técnica.

Produtor rural é acusado de estuprar menino de dois anos



Edmauro teve prisão temporária decretada
EUNÁPOLIS - O agricultor Edmauro Gamberini, 48 anos, está preso na cadeia de Eunápolis há quase 15 dias. Suspeito de ter estuprado um menino de dois anos e 11 meses, ele teve a prisão temporária de 30 dias decretada pelo juiz da Vara da Infância e Juventude, Otaviano Andrade Sobrinho.
O delegado Rodolfo Faro, que conduziu as investigações, afirmou ao RADAR64 que pediu a prisão de Edmauro antes da conclusão do inquérito porque ele estaria ameaçando as testemunhas.
O delegado informa ainda que já concluiu o inquérito policial e indiciou Gamberini por estupro de vulnerável. Rodolfo também representou por sua prisão preventiva.
O processo já foi encaminhado para a justiça e cabe agora ao juiz optar por sua prisão preventiva ou então liberá-lo para responder ao crime em liberdade.
Ainda segundo o delegado, a denúncia de abuso sexual partiu do pai da criança, um empresário de Eunápolis, cujo nome está sendo preservado. Ele falou que o filho mora com a mãe, de quem é separado. A sua ex-mulher estava namorando com Edmauro.
O abuso teria ocorrido na fazenda de Gamberini, no município de Itabela, onde o garoto foi passar o fim de semana com a mãe. O pai falou ainda que descobriu o abuso quando dava banho no filho. A criança teria reclamado de dores do ânus.
O menino - conforme o inquérito -, imputou o abuso à Gamberini. O laudo do exame feito pelo médico legista Luiz Andrade comprovou que houve lesão no ânus. A mãe do garotinho ainda não foi localizada pela reportagem para expor sua versão.
O RADAR64, por meio do delegado Evy Paternostro, coordenador da 23ª Coorpin, tentou agendar uma entrevista como Edmauro na delegacia, para ouvir a sua versão. Segundo o delegado, Gamberini ficou calado ao ouvir o pedido. Não deu nenhuma resposta. O site tamém não conseguiu nenhuma fotografia do acusado.
O RADAR64 também ainda não conseguiu localizar o advogado do acusado, que segundo informações policiais é de Salvador. Edmauro tem propriedades rurais em Itabela e residência em Eunápolis.

FIO DE ALTA TENSÃO CAI EM CIMA DE ÔNIBUS E MATA 06 ESTUDANTES ELETROCUTADOS NA TARDE DE QUINTA.

Girau do Ponciano/AL - Seis estudantes morreram quando um ônibus escolar em que viajavam foi atingido por fio de alta tensão derrubado por um caminhão pipa. O acidente ocorreu na tarde de quinta (27) no Povoado da Canafístula do Cipriano, no município de Girau do Ponciano (AL). As vítimas ainda não foram identificadas, mas tinham entre 14 e 18 anos de idade. Os feridos, que tiveram lesões leves, foram encaminhados para a Unidade de Emergência do Agreste, na cidade de Arapiraca, no interior do Estado.
De acordo com testemunhas, o caminhão pipa seguia na mesma direção do ônibus quando bateu em um
poste e provocou o acidente. Um fio de alta tensão caiu em cima do ônibus escolar levando pânico aos estudantes. Seis estudantes, que residem da comunidade Sítio Alecrim, na zona rural de Girau do Ponciano, morreram eletrocutados, ao tentar sair do ônibus. "Eles tiveram os corpos carbonizados, foi horrível", disse um morador da localidade.
Na hora do acidente, cerca de 30 pessoas se encontravam no interior do veículo, que transportava estudantes com idades entre 14 e 18 anos. O governo do Estado mobilizou equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e do Corpo de Bombeiros para atender os feridos no local do acidente. O governador em exercício José Thomaz Nonô (DEM) determinou mobilização total dos órgãos estaduais no atendimento aos feridos e às famílias dos estudantes mortos.

RONEI, morador do Clodoaldo Costa, teve as mãos amarradas com um fio elétrico, foi assassinado à facadas, embalado em um saco plástico e jogado no meio de uma rua.
Ronei, encontrado morto nas ruas de Conquista.

ROMES GUIMARÃES PEREIRA, RONEI, 23 anos, nascido em 23 de julho de 1987, morador da Rua Valdir Pires, 16, Clodoaldo Costa, se encontrava “viajando” desde a Terça- Feira (18). Familiares acreditavam que ele se encontrava na casa de parentes em Vitória da Conquista.Como se passaram mais de uma semana e o rapaz não havia ligado nem mesmo mantido contato com amigos, a família ficou preocupada. Finalmente na manhã de quinta (27) parentes do rapaz ao abrir as páginas do Itapetinga Agora se assustaram ao verem uma matéria de Vitória da Conquista, onde um rapaz havia sido assassinado e jogado dentro de um saco plástico nas ruas da cidade. A familia reconheceu a foto do rapaz no Itapetinga Agora e rapidamente se deslocou ao IML de Conquista, onde identificaram o corpo de Ronei.
o corpo de Ronei
Segundo informações da Polícia, o rapaz foi assassinado na madrugada de quinta-feira (20) com várias facadas. Ele foi encontrado na Rua da Corrente, Bairro Alto Maron, em Conquista. Ronei se encontrava com as mãos amarradas com um fio de eletricidade e o seu corpo estava embalado em um saco plástico, jogado no canto da rua.A Pax Perfeição trouxe o corpo do rapaz por volta 20:55 h. de Quinta (27) para Itapetinga, onde foi rapidamente sepultado no Cemitério Parque da Eternidade, na Nova.
Segundo informações da Família o jovem foi funcionário da Floricultura Rosa Menina, e estudou nos Colégios Noralice Gusmão e Modelo de Itapetinga.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

POLÍCIA MILITAR PRENDE ADOLESCENTE COM 1,1 Kg + 18 BUCHAS DE MACONHA e 1 REVÓLVER CAL. 38. EM ITAPETINGA.

KLEITON “KÉU”, 18 ANOS,  MATOU EM JULHO COM UM TIRO DE ESPINGARDA CRISTIANO ALEX, NA NOVA.

a madrugada dessa terça feira (25) KLEITON MARTINS DOS SANTOS, vulgo “KÉU”, 18 anos, fKleiton - Kéu - assassino e traficante Noi preso no Conjunto Habitat Brasil com uma BARRA pesando 1 kilo e 100 gramas de MACONHA PRENSADA e 18 buchas de maconha embalada.
Os Policiais Militares Osvaldo Júnior, Letian e Márcio realizaram uma revista na residência, encontrando também 1 revólver Cal. 38, Taurus.
as drogas e a arma

Por volta dás 21:00 h. do dia 02 de julho de 2010, Sexta-Feira, CRISTIANO ALEX DE JESUS SOUTO, 22 anos, nascido em 06/08/1987, morador da Rua Ribeiro Betânio, 25, Nova Itapetinga, se encontrava em sua residência, na área conhecida como “Sítio do Padre” na Nova Itapetinga, ao sair na esquina de sua casa foi abordado por Kleiton o “KÉU”, que com uma espingarda cartucheira nas mãos mandou que ele parasse, Cristiano não teve tempo para esboçar reação e foi atingido por um tiro no abdômen, morrendo minutos depois.
Kéu durante o funeral de Cristiano ficou na esquina da casa do morto, provocando os pais e familiares do rapaz que se encontravam no velório. O assassino contava vantagens sobre como atirou e a maneira como o rapaz sangrava no chão.
INJUSTIÇA BRASILEIRA
Kéu continua praticando crimes e como milhares de assassinos nesse país sente-se livre para matar e roubar, sabendo-se impunes, sabem também que a prisão, caso ocorra, é tão curta e passageira quanto a nova novela da Globo.
Nós não podemos mais aceitar, temos que lutar para uma urgente reforma Penal, que faça apodrecer na cadeia esses marginais e assassinos que infestam a nossa sociedade.

Wagner propõe pacto contra violência

A Segurança Pública é o destaque do programa de rádio desta terça-feira (25) com o governador Jaques Wagner. Ele fala das ações do Governo do Estado para combater a criminalidade e propõe a criação do “Pacto Pela Vida”, uma iniciativa que vai mobilizar o conjunto da sociedade, ouvir críticas e opiniões para melhorar o serviço de Segurança Pública. Outro destaque, entre as medidas já adotadas, é a incorporação ao contingente de 32 mil policiais de mais 706 novos soldados da Polícia Militar, que já estão reforçando o policiamento na capital e municípios do interior baiano.
“Começamos mais uma etapa do nosso processo de melhoria da Segurança”, diz o governador. Ao relacionar a segurança à questão da inclusão social, Jaques Wagner afirma que não pode haver segurança se não houver inclusão produtiva, dignidade e cidadania. “É a polícia de um lado e todo o aparato social do outro, dando dignidade a nossa gente, para que ela não fique refém dos bandidos e dos marginais”.
O governador informa que tratará do assunto com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que estará em Salvador na quarta-feira (26). “Espero estabelecer com ele convênios e aportes do governo federal para melhorar a nossa estrutura”, diz.
Durante o programa, Jaques Wagner antecipa também que pretende debater a questão da segurança com segmentos organizados da sociedade civil, a exemplo de instituições religiosas, sindicatos, universidades, Ministério Público, Judiciário e Legislativo, que se preocupam com a questão da Segurança, para a formação do “Pacto pela Vida”. E lembra que o governo é o principal responsável pela segurança, ressaltando a importância da mobilização da sociedade na discussão do assunto.
O governador aponta o tráfico de drogas como o maior responsável pelo aumento da violência e pela perda de tantas vidas. “Virou uma multinacional do mal, envolve pessoas ingênuas, inocentes e, portanto, tem que ser combatido todos os dias. Não tenho dúvida de que não será fácil, mas com planejamento, dedicação e muito trabalho, vamos vencer a batalha contra o crime.”

Onça perambula entre Camacan e Jacareci

O espécime vive na reserva ambiental Uiraçú na Serra Bonita.
Nos últimos dias, um comentário nada comum tem atormentado moradores da zona rural entre de Camacan e Jacareci. Segundo informnou o leitor Waldomiro Andrade, esta onça da foto acima, garante o Sr. Antônio Malta do Posto Primavera em Camacan, está perambulando à solta pela região.
Segundo os relatos, a foto foi feita por uma câmera trap (aquela que dispara através de sensores de movimento, inclusive à noite) e o animal foi colocado na Reserva da Serra Bonita por pesquisadores da USP-SP.
A Serra Bonita é conhecida como Serra da Torre da Telemar em Jacareci que, em linha reta, por dentro do mato, fica a aproximadamente 6 Km do distrito de Jacarecy na Ba 002.
Este exemplar agora é morador natural da região de Camacan onde poderá viver livremente sob a responsabilidade do próprio instituto e reserva ambiental.

O secretário de Segurança Pública do Estado, Maurício Barbosa, projeta que a primeira ‘Base Comunitária de Segurança’ (nome baiano para o já conhecido programa de UPP’s do Rio de Janeiro) deve ser instalado ainda este ano, no bairro de Nordeste de Amaralina. Em entrevista à TV Bahia, nesta quinta-feira (27), Barbosa afirmou que a estratégia carioca está prevista do programa de segurança pública que está em elaboração na SSP, e será posto em discussão na sociedade. Intitulado “Pacto pela Vida”, o programa prevê a ação integrada com as pastas de Esporte, Saúde, Educação, Trabalho e Assistência Social. De imediato, para tentar diminuir a onda de violência do início deste ano, o gestor disse que o efetivo policial está sendo direcionado para patrulhar as áreas em que os homicídios ocorrem em maior freqüência. “Toda a nossa capacidade operacional será distribuída para essas áreas”, afirmou. O secretário adiantou ainda que serão criadas mais nove delegacias no departamento de homicídios (atualmente só há uma delegacia especializada neste tipo de crime). “Investigação será feita exclusivamente através desta delegacias. Tiraremos essa responsabilidade das outras delegacias”, disse.

Bolo de aniversário era confeitado com folhas de maconha



Pais  promovem festa de aniversário de 18 anos da filha com bolo confeitado com maconha
ARRAIAL D’AJUDA - A chegada de uma garota à maioridade foi comemorada de uma maneira radical em Arraial d’Ajuda, Litoral Sul de Porto Seguro. Seus pais resolveram promover uma festa regada a drogas e álcool. Até o bolo de aniversário foi confeitado com folhas de maconha.A Polícia Civil invadiu a festa - no Restaurante Corujão, Estrada da Balsa, por volta das 2h da madrugada desta quinta-feira (27), após denúncia de que no evento também havia adolescentes.
No local, segundo o delegado Rafael Zanini – que comandou a operação -, foram encontrados diversos cigarros de maconha e trouxas de cocaína.
O bolo ornamentado com as folhas de maconha já havia sido consumido, mas o registro ficou nas câmeras fotográficas dos participantes, também apreendidas.
O delegado afirmou que o responsável pela festa, o estrangeiro Peter Paul Schlecht e a sua companheira Maria das Graças Costa Rocha, confirmaram a promoção da festa, mas disseram que não tinham conhecimento de que havia qualquer substância entorpecente.
As 21 pessoas flagradas no local foram conduzidas para a delegacia, prestaram depoimento ao delegado, e já foram liberadas. A maioria – inclusive os promotores do aniversário -, podem responder por tráfico de drogas e associação para o tráfico.
Ainda de acordo com o delegado, vários participantes fugiram pela praia com a chegada da polícia. A origem da maconha está sendo investigada.