domingo, 23 de janeiro de 2011

NOSSAS CRIANÇAS NECESSITAM DE MAIS PROTEÇÃO

A situação de violência sexual contra crianças e adolescentes, que tem acontecido no Brasil e no mundo, nos causa indignação e evidencia que as sociedades, apesar de todo o desenvolvimento científico e tecnológico alcançado, convivem com crimes que ferem a integridade física e psicológica daqueles a quem deveriam assegurar proteção e prioridade absoluta. Frente a essa realidade, o Poder Público e a sociedade civil se vêem chamados à desafiante tarefa de construir estratégias de enfrentamento, para assegurar a crianças e adolescentes o direito ao desenvolvimento saudável, livre de quaisquer formas de violência. O enfrentamento da violência contra a criança e o adolescente teve sua urgência reconhecida e fortalecida, no Brasil, a partir da promulgação do Estatuto da Criança e do Adolescente. E o direito da criança e do adolescente entrou definitivamente para a agenda pública e de mobilização, compondo um conjunto dos esforços em âmbito internacional. Desde então, foram adotadas importantes ações de enfrentamento das diversas formas de violência sexual cometidas contra crianças e adolescentes, por meio do empenho articulado do Poder Público e da sociedade civil organizada. O enfrentamento da violência sexual contra crianças e adolescentes requer um trabalho articulado em rede: assistência social, demais políticas públicas, órgãos de defesa de direitos e sociedade, com centralidade nas famílias. É preciso, sobretudo, uma grande reflexão sobre a cultura brasileira e sobre valores difundidos, para que crianças e adolescentes sejam concebidos verdadeiramente como sujeitos. Espero que o Poder Público e cada cidadão e cidadã se sintam mobilizados a construir uma sociedade mais protetora, a ser guardiães do direito de nossas crianças e adolescentes, para que possam ter preservado o que possuem de mais precioso e frágil: sua infância, sua adolescência e sua condição peculiar de pessoas em desenvolvimento. Faça bonito! Proteja nossas crianças e adolescentes!

Sem comentários:

Publicar um comentário